in

Menina é curada de leucemia após ver algo em seu quarto que deixou todos em choque: ‘Mamãe, olha…’

Conheça e se emocione com a história de vida da pequena Alice.

UOL
Publicidade

Sempre que acontecem fenômenos desconhecidos nas vidas das pessoas, para os quais muitas vezes não há explicações aparentemente acetáveis, acaba sendo possível que uma explicação plausível nunca apareça.

No campo da ciência e da saúde, cada vez mais os médicos e cientistas buscam comprovar toda e qualquer experiência ainda desconhecida pelo homem ou que lhe cause estranheza, desconforto ou mesmo qualquer tipo de fenômeno que não possam explicar.

Geralmente, aquilo que não pode ser explicado acaba virando algo sobrenatural ou até mesmo um milagre. Sob essa ótica, passa ser possível contar a história de Alice.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Alice recebeu o diagnóstico de leucemia no ano de 2012, quando tinha apenas 2 anos, o que a fez ficar internada por vários e vários meses nesse mesmo ano, devido ao alto grau de comprometimento que a doença vinha lhe causando.

Em estado muito grave de saúde e precisando de várias transfusões de sangue, a menina Alice precisou ser transferida do pronto-socorro infantil em São Gonçalo para o Hospital da Lagoa.

As células cancerígenas geradas pela leucemia linfoide aguda (LLA), já haviam tomado cerca de 90% de todo o sangue do corpo de Alice e foi nesse momento de muita dor que Joice Paschoal, a mãe da pequenina, buscou conforto na Palavra de Deus lendo um versículo no livro do profeta Jeremias que dizia assim: “Portanto eu lhes ensinarei; desta vez eu lhes ensinarei sobre o meu poder e sobre a minha força. Então saberão que o meu nome é Senhor” (capítulo 16:21).

Foram muitas as transfusões de plaquetas e de sangue pelas quais Alice passou e no mês de julho de 2012 ela recebeu alta pela primeira vez após ter iniciado sua batalha contra esse câncer no sangue. 

A alegria dos pais da menina não durou muito, pois ela retornou para o hospital um dia após ter saído porque foi acometida por uma febre fortíssima. Nessa época, apesar de muitos exames terem sido realizados em Alice, os médicos ainda não haviam descoberto qual era o mal que ela sofria.

Totalmente sem forças até para se manter de pé, a pequena permaneceu internada por 57 dias, até que em 31 de agosto de 2012, ela foi liberada pela segunda vez para que pudesse ir para casa com seus pais, onde conseguiu permanecer por três dias.
 

 

Um milagre aconteceu

Os pais da menina estavam confiantes na fé, buscavam à Deus de todo o coração participando dos cultos em sua igreja, das orações, dos congressos, louvavam e adoravam, quando Alice disse lá de seu quarto: “Mamãe, olha Jesus. Mamãe, Jesus”!

Imediatamente, a mãe dela respondeu: “Ele veio te curar. Manda um beijo e ela mandava e sorria. Foi uma experiência em que eu pude contemplar seu rosto de alegria, que eu não via há algum tempo. Naquela noite, a fé me fez acreditar. Eu creio que ela foi curada naquele dia”.

A mãe continuou: “Alice não falava palavras nítidas, parecia um bebezinho pequeno. Ela regrediu com o tratamento, na época. Mas, de repente, ela começou a me chamar e apontar para o teto e a imunidade subiu de uma forma tão extraordinária que as médicas ficaram surpresas”.

Com cinco meses de manutenção da quimioterapia a família pode comemorar o milagre da cura de Alice por completo e sua mãe contou: “O exame detectou 0% de células cancerígenas, para honra e glória de Deus. Jesus fazia, faz e fará muitos milagres em nossas vidas, basta colocar a fé em ação’!

Publicidade
Publicidade