in

‘Isso é problema de quem está preso’: conheça as propostas de Bolsonaro para o sistema penitenciário

Publicidade

Jair Bolsonaro (PSL) apresentou duas propostas de reforma ao sistema prisional em uma sabatina de pré-candidatos realizada pelo Correio Braziliense. Ao ser questionado sobre a superlotação das penitenciárias o deputado foi bem claro "problema de quem cometeu o crime".

Para ele as questões de melhorias para o sistema carcerário, de trabalhos que podem ser feitos para proporcionar uma melhora do indivíduo antes que ele volte a sociedade, não existe. Bolsonaro acredita que quem não quer viver no caos, que são as cadeias, que não pratique nenhum delito para não ir para lá.

Uma das propostas do pré-candidato a presidência é acabar com as audiências de custódia que consistem em apresentar o preso ao juiz em até 24 horas após a prisão. Assim, a Justiça pode analisar de perto caso a caso evitando a superlotação, verificando a possibilidade do infrator responder em liberdade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Bolsonaro deixou claro que não está preocupado com o bem estar do criminoso, muito menos pensar em melhorias ou condições para que não haja superlotação. Ele também disse não estar preocupado em práticas de abuso de forças policiais.

Além disso, ele tem projetos para que o cidadão comum possa se armar para se defender em algum crime que possa acontecer envolvendo ele ou sua família. Uma boa parcela dos eleitores está totalmente de acordo com ele e outros acham que armando a população a violência não irá diminuir.

O deputado segue firme com suas ideias inovadoras de reforma que continuam gerando polêmica, principalmente nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade