FamososTV E FAMOSOS

Confira as celebridades que superaram o TDAH

A falta de concentração, de atenção e o esquecimento são algumas das características das pessoas com o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade). Porém, esse transtorno não impossibilita o portador de ter uma vida normal. Muitas celebridades tem esse diagnóstico e mostram que é possível superá-lo e alcançar o sucesso na carreira.

Em entrevistas, Bill Gates, fundador da Microsoft e um dos homens mais ricos do mundo, confessou ter o TDAH. Segundo ele, enfrentou diversos problemas na escola e ainda abandonou a Universidade de Harvard antes de se formar. Porém, isso não tirou o brilho dele nos negócios.

Grandes personalidades do passado como, por exemplo, Salvador Dali, Walt Disney e Leonardo da Vinci também foram portadores desse transtorno. Porém, todos eles conseguiram obter sucesso em suas carreiras e gravaram seus nomes na história.

De acordo com o neuropediatra, o Dr. Clay Brites da Neuro Saber, o TDAH não impossibilita ninguém, inclusive as crianças, de ter uma vida normal. O grande problema, segundo o especialista, é a confusão e o preconceito das pessoas em relação ao transtorno.

Para alguns pais e educadores o TDAH é visto como uma ansiedade, uma dislexia e até mesmo preguiça em raciocinar. “Isso pode causar tristeza e pode fazer a pessoa desistir de estudar”, diz o Dr. “A falta de informação adequada faz com que muitas famílias procurem auxílio de um especialista tardiamente, o que pode prejudicar a qualidade de vida da criança, principalmente quando esta chega à adolescência ou à fase adulta”, alerta.

Por isso, quanto mais cedo for diagnosticado melhor. Dr. Clay diz que quando se descobre o TDAH na infância, entre 7 e 9 anos, os tratamentos surtem efeitos muito bons. “O acompanhamento individualizado, ajuda na readaptação e o estímulo da família tendem a ajudar imensamente”, diz.

Brites revela que descobriu ser portador de TDAH só na fase adulta. Ele era conhecido por ser esquecido e desatento. O DR. fala, por exemplo, que tinha a sensação de que os pais demostravam confiar mais nos seus irmãos do que nele para resolver situações cotidianas. “Isso reduzia muito minha autoestima”, declarou.

Clay Brites conta que no colegial, foi o primeiro aluno da sala em notas. Na graduação em Medicina, teve que estudar dobrado, mas conseguiu concluir em 16º lugar. Se especializou em pediatria e neuropediatria na Santa Casa de São Paulo.

 

“O respeito e o tratamento são muito importantes para que as pessoas com TDAH não sofram tanto. O tratamento muda vidas e pode reverter o fracasso escolar e a relação do indivíduo com seus entes queridos e autoridades escolares, permitindo, assim, plena saúde afetiva e mental”, conclui o especialista.

Leia Também

Marli Prado Ulprist

Jornalista, assessora de imprensa e sócia - diretora do 1 News Brasil, formada há mais de 10 anos em comunicação social com habilitação em jornalismo. Amo a minha profissão e escrever é o que mais gosto, é mais que um hobby, é muito amor envolvido em cada matéria. Para entrar em contato comigo mande um e-mail para marli@1news.com.br

ARTIGOS RELACIONADOS

error: Conteúdo Protegido!

AdBlock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios.