BrasilNOTÍCIAS

Uber: mulheres reclamam do constante assédio por parte dos motoristas

Que o Uber facilita a vida de quem precisa se locomover de forma mais ecônomica e prática, isso ninguém pode contestar. A facilidade em se conseguir transporte através do smartphone é sem dúvida a sensação do momento. Mas ao mesmo tempo, a atitude de alguns motoristas que trabalham com o aplicativo têm feito com que o serviço se torne questionável: facilidade? Sim. Mas e a segurança das mulheres

Na última sexta-feira (12), uma jovem de 16 anos chamou um carro do Uber na zona norte de São Paulo para buscá-la e levá-la até o metrô Tucuruvi, de onde iria direto para casa. Logo assim que iniciou a viagem, o motorista já puxou assunto com a passageira: “Vai sair?” Logo em seguida a jovem responde que não. “Mas é um desperdício ir para casa”, insiste o motorista. “Não quer ir a uma balada comigo?”. “Não.” “Vou te levar para um lugar legal. Vai ser rápido. Não quer ir a um barzinho?”. “Tenho 16 anos”, disse a menina. “E daí”, respondeu ele.

As reclamações por assédio são constantes por parte das mulheres, principalmente na modalidade do Uber Pool, onde pessoas com o mesmo trajeto compartilham a corrida. Ao ingressar para trabalhar no Uber, o motorista recebe apenas um treinamento on-line, ensinando como se portar durante as corridas. Mesmo assim, alguns motoristas não seguem as normas e diretrizes impostas pela empresa, chegando a procurar as passageiras posteriormente através das redes sociais.

De acordo com a empresa, as avaliações dos passageiros ao final da corrida são importantes para manter a máxima excelência na prestação do serviço. Assim que a viagem é finalizada, o passageiro deverá avaliar o motorista com até cinco estrelas além de deixar um comentário. A empresa afirma que todos os comentários são lidos e que, para o motorista continuar dirigindo, é necessário que ele possua no mínimo uma nota de 4,6.

Sempre que for utilizar os serviços de aplicativos como o Uber, algumas ações são importantes para manter a sua segurança. Compartilhe a tela do aplicativo com os dados do motorista com alguém de sua confiança. Compartilhe também o trajeto que será feito. Outra técnica aplicada pela mulheres é ligar ou fingir que está ligando para os pais. 

Tem mais alguma dica para compartilhar com nossos leitores(as)? Deixe seu comentário abaixo.

Leia Também

Nellysson Silva

Sócio-fundador do portal 1News Brasil. Quer falar comigo? Fique à vontade: nellysson@1news.com.br

ARTIGOS RELACIONADOS

error: Conteúdo Protegido!

AdBlock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios.