SaúdeVARIEDADES

Mayaro: novo vírus transmitido pelo Aedes aegypti

Qualquer espécie na natureza, independentemente qual sejam elas, estão sempre lutando e se adaptando para sobreviverem às mudanças às quais são expostas.

Agora, um vírus esquecido há muito tempo pode estar se propagando novamente com a ajuda de um dos maiores problemas da atualidade: o Aedes aegypti.

O mosquito transmissor dos vírus Zika, Chikungunya e Dengue, agora também é suspeito de transmitir o Mayaro.

O vírus foi identificado em 1954, em regiões silvestres ao redor da região Amazônica, e era transmitido apenas por mosquitos vetores silvestre. Mas um caso identificado no Haiti, em uma criança de 8 anos, levou pesquisadores da Flórida à conclusão de que o vírus tenha se adaptado e esteja possivelmente se espalhando pelo continente com a ajuda do Aedes aegypti e o Aedes albopictus, que são mosquitos urbanos. 

A doença causada pelo vírus é chamada de Febre do Mayaro e é semelhante à chikungunya.

 

Sintomas

 

Febre e cansaço sem justa causa, surgimento de manchas vermelhas pelo corpo, dor de cabeça, dores nas articulações, olhos doloridos e possível intolerância à luz. Os sintomas podem durar meses para passar.

 

Como saber se é dengue, chikungunya, Zika ou Mayaro?

 

Apenas exames clínicos podem oferecer a confirmação. Pela semelhança dos sintomas, na criança infectada foram feitos os exames de dengue e chikungunya, mas como deram negativos os médicos pediram o de Mayaro, onde veio a confirmação.

 

Tratamento e vacina

 

Não há ainda um tratamento ou vacina para o problema. O diagnóstico é baseado na diminuição e alívio dos sintomas, até que acabem.

 

Mayaro no Brasil

 

No Brasil somente foram relatados casos em áreas rurais ou de mata. Entre o fim de 2014 e meados de 2015 foram registrados 197 casos nas regiões Norte e Centro-Oeste. No estado de Goiás foram registrados 66 casos até fevereiro deste ano.

 

Como se proteger da febre do Mayaro

 

Evitar a proliferação do mosquito transmissor, eliminando focos de água onde eles possam se reproduzir, pode ser uma das mais eficazes maneiras de combate não só ao vírus do Mayaro, como também todos os outros vírus transmitidos pelo mosquito, que vive apenas 45 dias e se desloca no máximo em um raio de 300 metros do local de onde nasceu. Mas também é importante evitar as picadas, pois o mosquito só pode transmitir o vírus depois de picar uma pessoa contaminada. Portanto, inseticidas, cortinados ou mosquiteiros, repelentes, telas nas janelas são uma boa forma de proteção contra o mosquito transmissor.

Leia Também

Matheus Dayrell Reis

Sócio-fundador e redator do portal 1News Brasil. Contato: matheus@1news.com.br

ARTIGOS RELACIONADOS

error: Conteúdo Protegido!

AdBlock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios.