Beleza Oculta foi um belo filme que passou despercebido

Amor, tempo e morte. Em maiúsculo, como personagens protagonistas do teatro da vida. Essas são as três abstrações que fundamentalmente motivam todas as ações humanas.

Ainda assim, às vezes a vida nos atinge de forma que mais nenhuma das três tem mais a capacidade de nos mover, de nos tirar da inércia. E se nesse momento, formos visitados por elas? Tal qual um Conto de Natal, de Charles Dickens, Beleza Oculta traz exatamente esse cenário, desenvolvido com sutileza e maestria por David Franckel, contando com o talento dramático de atores já consagrados, como Will Smith, Edward Norton, Kate Winslet e Helen Mirren. Impressionante como Will Smith consegue se sair bem em papéis dramáticos, além de sua já consagrada atuação com humor e ação – talvez seja hora da academia pensar em um Oscar.

Um filme sensível, que busca encontrar na dor da perda uma rara e preciosa flor ao largo de nossa jornada, a beleza colateral que nomeia o longa em seu idioma original. Belo filme que passou despercebido no ano de 2016 e que merecia melhor sorte com público e crítica.

Leia Também

Benedito Villela Alves Costa Junior

Contador de histórias apaixonado por filmes, séries, livros e música. Colunista, articulista, palestrante, professor e outras coisitas mas. Wonderlust.

ARTIGOS RELACIONADOS

error: Conteúdo Protegido!

AdBlock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios.